29/10/2017

63 - Mulata é a noite






Como eu
A noite nasceu mulata
Na escuridão da cubata
É pecado de subúrbio

Mulata
É distúrbio no musseque
E a lua é pé de moleque
Que adoça a provocação

A noite
É como pano de chita
Que foi esteira de rebita
Deixou missanga no chão

Como eu
A noite é bronze maciço
Liga de prata e feitiço
Gosto de açúcar mascavo

A noite
Tem um travo de maboque
E a mulata é um retoque
Na polpa da natureza

Mestiça
É estrela de bairro pobre
É barro que imita o cobre
Torneado de surpresa
Como eu, como eu



A música, creio ser muito antiga já, mas desde a primeira vez que a ouvi, simplesmente adorei. A qualidade musical não é das melhores, mas não a encontrei cantada em melhores condições, e o que importa, para mim, é onde ela me leva.